The heart of ancient gold

“The jingle of harp cords
in a vibrant and jubilant heart,
gilded
of ancient gold…
numinous painted light
magic of finger’s gleaming
in the hands of the harper.

Between the softness of sound
stories come and go.
Princesses kiss frogs,
princes kill dragons
and beautiful woman bewitch man
throwing them to their caldrons
transforming them in soup!

She’s a witch!
She’s a witch!
Sings the animated male harper…

But, no!
No!
I say.

The Goddess and her caldron
invoke love in the heart,
and to the wisdom of Nature
village dwellers go and drink.

Witch!…Yes,
but wise woman…like the Gods that dance
and bustle the forests in light
and in the shadow of days,
also playing her golden harp,
strings made of her long hair
teaching beauty and love,
to feel the heart –
the heart of ancient gold
painted of sound.”

Margarida Marcelino
24 May 2010
Gracieira | Óbidos

O coração de ouro ancião

“O retinir das cordas de uma harpa
num coração vibrante e jubiloso,
dourado
de ouro ancião…
Luz numinosa pintada
magia de dedos brilhando
nas mãos da harpista.

Por entre a suavidade do som
histórias e estórias vão e vêm.
Princesas beijam sapos,
príncipes matam dragões
e belas mulheres enfeitiçam homens
atirando-os para o seu caldeirão
transformando-os em sopa!

Ela é uma bruxa!
Ela é uma bruxa!
Canta o harpista animado…

Mas, não!
Não!
Digo eu.

A Deusa e o seu caldeirão
invocam o amor no coração,
e à sabedoria da Natureza
as moradoras do campo vão beber.

Bruxa!… Sim,
mas sábia, como os Deuses que dançam
e animam as florestas na luz
e na sombra dos dias,
tocando também a sua harpa dourada,
as cordas feitas pelos seus longos cabelos
ensinando a beleza e o amor,
o sentir o coração –
o coração de ouro ancião
pintado de som.”

Margarida Marcelino
24 de Maio de 2010
Gracieira | Óbidos

Advertisements